Bóia #24

 
 
Gabriel Medina, Teahupoo Foto: Poullenot/WSL

Gabriel Medina, Teahupoo Foto: Poullenot/WSL

 

Entre as férias no hemisfério norte e as fúrias do Hemisfério Sul arranjamos tempo para mais um episódio do Bóia.

Nos arrogamos o direito de debater a mais sofisticada filosofia de botequim hoje estudada em extensas e empolgadas postagens nas redes sociais.

Desenterramos Kant, Spinoza, Gregos e baianos e ainda, os irmãos George enquanto falamos do conceito de tempo e espaço.

A filosofia oriental acredita que o tempo, bem como o espaço, são construções da mente humana - e isso é completamente ignorado pelo Podcast.

Viciados que somos, passamos boa parte dos primeiros minutos cuidando exclusivamente das coisas mundanas do surfe profissional, principalmente Gabriel Medina, que foi tema de um texto fundamental do Nick Carroll no Surfline.

Famintos por (ainda!) mais desculpas para justificar nossa doença, buscamos um texto doído e sentido da escritora americana Ellis Avery publicado no New York Times no dia do meu aniversário.

Ainda acontecem homenagens aos nossos irmãos de sol e sal, Fanta e Damien Lovelock, que insistem em ir conosco para o mar toda vez que remamos nossas bóias em direção ao infinito.