CHLOÉ CALMON // A aventura recomeça

 

Por Chloé Calmon

P2740060.jpg
 

Em 2017 passei 173 dias rodando pelo mundo. Entrei em um avião 57 vezes. Quase 6 meses longe de casa. Mas, sim, construindo raízes e deixando um pouco de mim em cada lugar que passo. Conheci países que foram planejados, outros totalmente inesperados, e redescobri países já conhecidos. Dei muitos passos e cruzei muitas pessoas nesse caminho.

Para quem leva uma vida assim, sem passar mais que 3 semanas no mesmo lugar, férias são sinônimo de parar e sossegar. O certo seria em casa, mas não existe certo e errado, né? Para mim, nas férias fico com a minha família. Minha irmã agora vive em Portugal, então toda a família foi até lá para se juntar a ela. 

 
 Chloé e sua irmã, Clara, que vive em Portugal.

Chloé e sua irmã, Clara, que vive em Portugal.

 

Começamos ao norte por Bragança, atual casa da minha irmã. É uma cidade no interior e um dos lugares mais frios do país. Depois fizemos uma road trip com paradas em Porto para o Natal, Vila Nova de Gaia, Espinho, Ericeira, Mafra... Em Nazaré acompanhamos um dos últimos swells grandes de 2017 e mesmo em condições adversas de vento, ver com os próprios olhos o poder daquela onda é uma sensação inesquecível (mesmo que seja sem nem molhar a ponta do dedo do pé…). Depois de Nazaré fomos a Óbidos, Sintra, Cascais e Lisboa, onde terminamos a viagem. 

Foram semanas incríveis com a minha família, com comida de qualidade, vinhos de todos os tipos e lugares magníficos. Lá em casa sempre dizemos que quando estamos todos juntos, nos reenergizamos. Por isso é muito bom passar as festas e a virada do novo ano reunidos. Pela primeira vez em muito tempo, passei alguns dias sem pensar em surf. Campeonatos, treinos, compromissos, próximos planos... A única semelhança é que estávamos sempre pelo litoral. Todos os dias eu via o mar, então mesmo sem surfar eu me sentia mais tranquila e revigorada só de estar perto do oceano. Realmente eu precisava de um tempo “off” , a fim de espairecer a mente e organizar os próximos passos. 

As férias seriam prolongadas não fosse pelo convite para integrar o time brasileiro no ISA Games de longboard que aconteceu na China, no final do mês de janeiro. Fiquei muito feliz com a convocação, já integrar a equipe brasileira nos Jogos era um sonho antigo, mas que não havia se realizado ainda. No final das férias, eu já contava os minutos para voltar à minha rotina, às minhas pranchas e focar minha atenção no próximo evento. 

Numa sexta-feira me despedi da família e embarquei para o Rio. Sábado já estava treinando, e na terça estava a bordo de um avião rumo à China. Quinta à noite fazia o check in no hotel em Riyuebay, palco do primeiro evento da temporada de 2018. Essa coluna foi escrita na minha primeira noite na China, quando não consegui dormir por conta da diferença de 10 horas. Uma hora da manhã em Hainan, duas horas da tarde no Rio. Levei um tempo até realmente cair no sono e perceber que a temporada já começara. 

 
IMG_3453.jpg
 

Tive pouco tempo para organizar essa viagem, mas sinto como se estivesse em minha segunda casa. Em meia hora contatei uns amigos, resolvi transfer do aeroporto, hotel e conferi as condições do clima e das ondas. Já sabia que tipo de roupa ia usar lá, além de ter o meu kit de sobrevivência na China. Foi tudo em cima da hora, mas tive um sentimento feliz ao saber que voltaria para cá. 

E então, a aventura recomeça... E assim deixo um gostinho do meu início de ano para vocês. As aventuras na Ásia ficam para a próxima coluna. Bom ano a todos!

Nota do editor: Chloé terminou o ISA Games na 2ª colocação.