YouTube Sessions - Seções históricas

YouTube é um buraco negro. Você entra em busca de algo, num piscar de olhos já se passaram horas e você nem lembra por quê foi parar lá em primeiro lugar. Isso pode ser uma grande perda de tempo, ou também uma grande maneira de passar o tempo -- vai depender da perspectiva. Pensando no lado positivo da coisa, resolvemos criar a “YouTube Sessions”, uma curadoria temática periódica para você se jogar na maior plataforma de vídeos do mundo com um objetivo claro e, consequentemente, não se perder nos confins da internet até o raiar do dia seguinte.

YouTube Sessions - Capa

Nesta edição, resolvemos procurar pelos momentos mais marcantes de cada década em filmes de surf. E ninguém melhor para ajudar a fechar a lista do que nosso colunista e enciclopédia ambulante do surf, Julio Adler.

 

Phil Edwards surfando Pipe pela primeira vez - com muita classe - em "Surfing Hollow Days" (1962)

Apesar do filme de Bruce Brown ter sido lançado já na década de 60, Phil Edwards é considerado por muitos o melhor surfista da geração da década de 1950. Não à toa, foi o primeiro a surfar Pipeline corretamente (Fred Hemmings, por exemplo, disse ter surfado a onda, porém sem completá-la). As duas primeiras sessões de Edwards em Pipe estão registradas neste trecho icônico de Surfing Hollow Days.

 

O ataque de backside revolucionário de Wayne Lynch em "Evolution" (1969)

O clássico Evolution é tido por alguns como o filme de surf mais influente de todos os tempos. O diretor australiano Paul Witzig registrou nessa obra um momento definidor na evolução do esporte: o que viria a ser chamada de Shortboard Revolution, ou Revolução das Pranchinhas. E o segmento que ficou eternizado foi a sequência de abertura, na qual o australiano Wayne Lynch, com apenas 16 anos, demonstra do que a nova geração de pranchas - e surfistas - era capaz.

 

A sessão de "Free Ride" em que Mark Richards e Shaun Tomsom fazem história em Off The Wall (1977)

Free Ride transcendeu o título do filme de Bill Delaney para se tornar o nome de uma geração. Os australianos chegaram derrubando a porta e junto apareceu Shaun Tomsom, que levou a técnica dentro dos tubos a um nível então inédito. Enquanto outros desenhavam uma linha basicamente reta, o sul-africano passou a acelerar dentro do tubo para passar diferentes seções, conseguindo ficar mais fundo, por mais tempo. Dentre os poucos que o acompanharam no topo da pirâmide de performance estava o aussie Mark Richards que, com sua inovadora biquilha, viria a tornar-se tetracampeão mundial. Nesse segmento de Free Ride, a dupla demonstra porque é uma das maiores responsáveis pela existência dos Kellys, Filipinhos e John Johns de hoje em dia.

Obs.: não perca a onda aos 3’20”

 

O aéreo absurdo de Occy na abertura de "Beyond Blazing Boards" (1986)

Num beachbreak então desconhecido na Austrália, Mark Occhilupo acelerou numa esquerda e fez o que provavelmente ninguém nas salas de cinema pré-internet estava esperando. Bateu no lip e não parou por aí -- jogou a rabeta num aéreo que continua impressionante mais de três décadas depois. O filme de Chris Bystrom marcou uma época de enorme e constante inovação no surf.

 

"Billabong Challenge" e a criação do circuito dos sonhos (1996)

Na metade da década de 90, o Tour estava desinteressante, com competições pautadas por público, desconsiderando o nível das ondas. Mas em 1995, a Billabong resolveu bancar a ideia do ex-campeão mundial Rabbit Bartholomew, e criou o Challenge - um evento itinerante em lugares isolados, com ondas absolutamente perfeitas. Além disso, foi uma oportunidade para a marca divulgar a volta de Occy, após um período afastado por depressão. A estreia da etapa que seria a semente do “Tour dos Sonhos” aconteceu no deserto, em West Australia, e o filmmaker Jack McCoy registrou tudo, publicando o primeiro de uma série de filmes sobre as Billabong Challenges ao longo dos anos seguintes.

 

A perfeição pitoresca da sessão de Hollow Trees em "The September Sessions" (2002)

Dirigido por Jack Johnson, o filme mostra uma receita simples, mas nem por isso menos efetiva: os melhores surfistas do mundo, na mais absoluta perfeição da Sumatra e das Mentawai. Além da performance na água, a obra retrata a surftrip perfeita de um grupo de amigos que, por acaso, é composto pelas maiores estrelas do surf (então) contemporâneo e um músico que estava prestes a estourar internacionalmente. The September Sessions capta a essência de um momento importante na vida de Kelly Slater, que havia acabado de se aposentar do Tour.