CHLOÉ CALMON // Detalhes

 
 O ouro está nos detalhes. Foto WSL

O ouro está nos detalhes. Foto WSL

O mundo das competições me atrai muito. Seguindo uma carreira de atleta, você aprende vários valores que facilmente aplicam-se em diversas áreas e momentos da vida. A disciplina, dedicação e superação são alguns deles, que tem em comum o mesmo objetivo: buscar o seu melhor todos os dias.

O surf é um esporte único, que difere-se dos outros pelo ambiente: enquanto a maioria dos esportes acontecem em ambientes estáveis e controlados - como um campo, uma quadra ou piscina -, no surf estamos em contato direto com a natureza. E não tem nada de controlável aí. Além de focar na própria performance, estratégia e nos outros competidores, observar as condiçōes do mar é um dos pontos mais importantes. A cada hora, o mar muda, onda após onda. E por mais que tenhamos uma estratégia a seguir, nunca podemos realmente prever o que vai acontecer, pois o mar sempre dá a última palavra. Uma vez, li em uma entrevista da Carissa Moore que ela nunca se cansa ou enjoa do surf, pois a cada dia que ela chega na praia encontra uma onda diferente. E não importa o quanto ela tenha surfado hoje, pois no dia seguinte será tudo novo. E isto faz todo o sentido.

Por muito tempo, a preparação de um surfista baseava-se em horas dentro d’água, apenas. Nos dias de hoje, quem seguir essa linha fica bem para atrás. O profissionalismo do esporte e o nível técnico dos atletas evoluiu muito, e todos - homens e mulheres, de todas as pranchas - fazem um trabalho fora d’água de preparação. Eles sabem a importância de um mero detalhe na composição de um atleta perfeito. Se pegarmos os 5 primeiros surfistas do ranking mundial, é difícil dizer quem é disparadamente o melhor. É uma combinação de fatores. Às vezes é uma disputa de remada, uma mente mais tranquila ou atenção na regra de prioridade que ganha uma bateria. Pode ser um mero detalhe que fará toda a diferença,

Eu penso muito nesses detalhes durante a minha preparação.  As manobras, em si, todas fazem. E no longboard ainda tem a questão “ESTILO” - quanto menos braço balançando, melhor; mais passos e passos curtos até o bico; cruzando os pés ao andar, ao invés de arrastá-los; são alguns dos detalhes que um juiz observa para diferenciar um atleta do outro. 

Chloe-Calmon.png

Um bom surf de longboard, ao olhar dos juízes, tem que ter estilo e graciosidade. Segundo a WSL, “o surfista deve performar manobras na sessão crítica da onda utilizando a prancha inteira e enfatizando o estilo tradicional de surf. Aquele que realizá-lo, com o maior grau de dificuldade e mais estilo, fluxo entre manobras e graciosidade, receberá a maior nota. Além disso, alguns elementos são chave, como: surf de rabeta e de bico (noseriding); variedade; velocidade e força; comprometimento; controle; footwork (a caminhada em cima da prancha)”.

Com o aumento do nível dos atletas no circuito mundial, os juízes ficam mais exigentes em relação à performance, utilizando uma avaliação mais minuciosa, e prestando atenção aos menores detalhes.

À parte do nível técnico, há a estratégia: qual o plano de ação a ser usado na bateria que leva a vitória. A prioridade é algo que precisa de uma atenção dobrada. Sofri uma interferência de prioridade no ano passado, e quando cheguei em casa li o capítulo sobre as regras de prioridade umas dez vezes, e revi todos os “heat analyzers” com casos de interferência. Hoje já sou muito mais atenta nesse tópico, e sei que, mesmo na liderança, a bateria nunca está ganha (até alguém cometer uma interferência…), e em casos que o atleta usar a prioridade a seu favor, pode acontecer exatamente o contrário e ele ser punido.

 Estilo e graciosidade. Foto WSL

Estilo e graciosidade. Foto WSL

A preparação física é outro fator importante. É um ponto crucial em uma disputa de remada até o outside, ao manter-se ativo na bateria pegando várias ondas, em condiçōes de mar grande e arrebentação difícil, por exemplo. E, durante uma bateria, ainda tem a adrenalina do momento, que te deixa mais ofegante do que o normal. Então estar bem preparado fisicamente te coloca na frente.

Sentir que seu equipamento é o melhor também é essencial para criar uma confiança forte antes de um evento. Tenho a sorte de estar ao lado de um time que, nesse quesito, dispensa comentários: a New Advance e o Neco Carbone. Estão sempre abertos para ouvir o que eu tenho a dizer, trocamos experiências e opiniōes, fazemos vários testes até chegar na prancha mágica. E nada melhor para um surfista do que ter uma prancha mágica no pé.

Por último, porém não menos importante, é a mente. Um dos principais fatores na composição de um atleta, na minha opinião, é o fator psicológico. Já ouvi uma vez de um astro do esporte a seguinte afirmação: “se você tem 100% de talento, mas 50% de cabeça, você é mais um no meio. Agora, você pode ter 50% de talento, mas se tiver uma mente forte à 100%, irá conquistar o mundo”. Uma mente tranquila e confiante te torna capaz de realizar feitos que nem você imaginava ser capaz.

  "Uma mente tranquila e confiante te torna capaz de realizar feitos que nem você imaginava ser capaz".

"Uma mente tranquila e confiante te torna capaz de realizar feitos que nem você imaginava ser capaz".

Nos treinos diários é possível trabalhar um pouquinho para evoluir em cada uma das áreas que comentei acima. Ao desenvolver diversos fatores à parte do talento nato, a pessoa destaca-se no meio da multidão e caminha em direção à excelência. Um campeão trabalha tudo pela vitória.

“Talento é 1% de inspiração e 99% de transpiração”, como já disse Thomas Edison.