Baby para sempre

 
 Foto: Rafaski

Foto: Rafaski

Rodrigo Valadares, eterno Baby, foi. Mas também fica. 

Baby sofreu um acidente de carro na Austrália, na última 3ª-feira. Mas não queremos ficar falando de como foi essa partida, mas sim da figura que marcou o surf brasileiro. Sua trajetória que começou em Santos, onde foi homenageado por parceiros, amigos e membros da família no mar, em frente ao Canal 4.

E quem melhor pra falar de Baby do que Daniel Cortez, conterrâneo que teve o prazer de assistir esse crescimento e participar da mesma cena de perto? Encontramos com ele em Maresias no final de semana e trocamos uma ideia sobre o impacto do freesurfer e a mensagem que ele deixa por aqui.

"Ele sempre foi referência, um moleque muito talentoso. Um cara com muita personalidade, até um pouco difícil de lidar às vezes. Se ele decidia algo, era aquilo e pronto. Mesmo quando ele estava errado, ia naquilo até o fim. Era um cara que sempre fez a história dele e não queria ficar aparecendo muito, nem curtia essas paradas." 

"Porra, o que eu mais gostava de fazer no surf e ele também, era filme, revista. A gente andava muito junto nessa época. Baby era o cara."

"Alguém que ninguém conhecia e, muito antes desses moleques ficarem dando aéreo, full rotation, ele já dava. Sei lá, nem caiu a ficha direito do que aconteceu. Acho que ele cumpriu a missão dele e que ele estava bem evoluído espiritualmente. Partiu, cara. Mas fica a mensagem dele é a de um cara que tinha muito personalidade."