Surf de luto

 
 Homenagem a Jean da Silva, hoje de manhã, Sunset Beach. Foto Henrique Pinguim

Homenagem a Jean da Silva, hoje de manhã, Sunset Beach. Foto Henrique Pinguim

O clima era de comemoração. 

Reunidos no Surfer Bar, no North Shore havaiano, boa parte da nata do surf competitivo brasileiro, amigos e agregados, assistiam à estreia do curta “Dreaming Together”, de Tomas Hermes e Bruno Tessari. 

Após a exibição, chega a noticia: Jean da Silva se foi. 

Mas peraí! Não pode ser. Como assim?

Yago Dora e Bruno Zanin se retiram para um canto. Marco Giorgi busca informações no telefone. Daniel Cortez me olha e parece não acreditar. A informação que chega é quase impossível de engolir. Jean tirou sua própria vida. 

A galera se reúne no lobby ao lado do bar em choque. Uns choram. Outros ficam mudos, olhando para o nada. 

Como assim, caralho? O Jean???

Acho que todos se faziam a mesma pergunta.

Hoje de manhã amigos e praticamente todos os surfistas brasileiros do Circuito Mundial que estão no Hawaii, reuniram-se em Sunset para uma remada em homenagem a Jean.

Tudo mundo continuava incrédulo. Parece que a ficha ainda não caiu. Como um cara tão especial, que além de magnífico surfista, era educado, sensível e do bem – sempre com um sorriso na cara e transbordando energia positiva – pôde partir prematuramente de uma maneira tão triste?

Acho que nunca teremos a resposta – apenas as memórias de um amigo talentoso e especial que vai fazer falta na vida de muita gente.

Descanse em paz, brother.

S.A.

 Jean da Silva. Foto Henrique Pinguim

Jean da Silva. Foto Henrique Pinguim