7 momentos marcantes da perna europeia

No sábado, 7 de outubro, começa a janela de espera para o Quiksilver Pro France 2017, o que inaugura oficialmente a perna europeia da elite do Circuito Mundial. França e Portugal são as últimas paradas do circo da WSL antes de embarcar para a decisão final no Hawaii, o que deixa ânimos exaltados – principalmente em um ano tão disputado. Com isso em mente, resolvemos relembrar alguns momentos marcantes que aconteceram no velho continente em anos passados.

 Mineiro após uma final esquentada contra Slater em Portugal, 2011. Foto: WSL

Mineiro após uma final esquentada contra Slater em Portugal, 2011. Foto: WSL

MINEIRO X KELLY SLATER - Rip Curl Pro Portugal 2011

O Rip Curl Pro Portugal 2011 foi um dos melhores eventos do ano em termos de onda e a final épica entre Adriano de Souza e Kelly Slater merece ser relembrada. Em Trestles, duas etapas antes, um desentendimento havia deixado o clima tenso entre os dois. Além disso, o guarujaense andava levando a maioria dos embates, e todo mundo sabe quanto o Careca gosta de perder. Tudo isso criou uma atmosfera eletrizante da final, em que Mineiro competiu de joelho machucado, achou um belo e longo tubo que lhe rendeu um 9 e o caneco português. Mais tarde, no palanque, Adriano se ajoelhou sob Kelly, num ato de reverência ao maior atleta do esporte.

A final dramática em que Mineiro bateu Kelly em Supertubos perfeito.

 

ANDY IRONS X BRUCE IRONS - Quiksilver Pro France France 2004

Os irmãos Irons protagonizaram uma das finais mais históricas da perna europeia. O Quiksilver Pro France de 2004 é lembrado como a vez em que o beachbreak de La Nord, em Hossegor, quebrou gigante para um evento, com 6 a 12 pés em condições alucinantes. O caminho até a final foi travado por grandes batalhas envolvendo gigantes do surf mundial – Andy eliminou Sunny Garcia em uma semifinal e Bruce tirou Kelly na outra. Nada melhor do que a combinação ondas perfeitas + Andy e Bruce sozinhos no lineup para a primeira final entre os Irons no WT (assista abaixo).

Tem surf mais eletrizante do que uma final entre os irmãos Irons em tubos grandes e perfeitos?

 

TECO PADARATZ X KELLY SLATER - Rip Curl Pro France 1994

Flávio Padaratz fez história em território francês em 1994 no Rip Curl Pro. Além de ter aberto a porteira do WT para o surf brasileiro junto com Fabinho Gouveia, Teco desbancou Kelly Slater em uma final disputada, levando uma etapa em território gringo pela primeira vez para casa. No final da bateria, Slater estendeu a mão ao brasileiro, parabenizando-o. Neste mesmo ano, o catarinense teve sua melhor colocação no Tour, finalizando o ano entre os 10 melhores surfistas do mundo – além de colocar no currículo uma vitória sobre um Kelly jovem, no começo astronômico da carreira.

Cobertura francesa do Rip Curl Pro 1994, vencido por Teco Padaratz.

 

RICARDO TATUI x JEFF BOOTH - Quiksilver Surf Masters França 1994

Das três etapas francesas que rolaram em 1994, Ricardo Tatuí foi convidado para competir em uma – e venceu. O niteroiense entrou como wildcard e foi avançando aos poucos, eliminando alguns dos melhores da época, como Kelly Slater (sim, ele novamente) e Shane Powell. A ocasião marcou a segunda vitória consecutiva de brasileiros no WT naquele ano (e também o segundo evento consecutivo em que Slater perdeu para um brasileiro). Para surpresa geral, Tatuí chegou à final, disputada contra o norte-americano Jeff Booth, e venceu a bateria nos últimos dois minutos. A conquista foi direto para a história do surf nacional.

Ricardo Tatuí conta sobre quando venceu a etapa de Hossegor do WCT.

 

ANDY IRONS x MICK CAMPBELL - Rip Curl Pro Landes 2000

Uma das tretas mais históricas da história das tretas do WT rolou durante a perna europeia. O palco? O Rip Curl Pro Landes, em Hossegor, na França. Depois de perder para Mick Campbell no Round 3, Andy Irons se dirigiu ao australiano na área de competidores e soltou o verbo. Basta dizer o havaiano foi recebido com uma porrada no nariz e ainda tentou revidar com uma pranchada na cabeça do adversário, o que só piorou sua situação. Campbell acabou recebendo uma multa considerável da ASP – mas pelo menos não levou desaforo pra casa.

 Você brigaria com Mick Campbell? O Andy Irons sim - e se deu mal.

Você brigaria com Mick Campbell? O Andy Irons sim - e se deu mal.

 

GABRIEL MEDINA X JULIAN WILSON - Rip Curl Pro Portugal 2012

Marcada pela polêmica, a decisão do Rip Curl Pro Portugal 2012 é digna de discussões e análises. Amplamente contestada, a primeira vitória de Julian Wilson sobre Gabriel Medina no WT se deu no beachbreak português de Supertubos, em Peniche. A virada de bateria durante a última onda se tornou o epicentro do debate, que contou tanto com brasileiros quanto gringos na defensiva de Medina.

A virada mais polêmica da perna europeia.

 

JADSON ANDRE X JOHN JOHN FLORENCE 2014

2014 marcou a volta de Jadson ao WT, após ter caído fora da elite. O potiguar deu o sangue como só ele sabe fazer e batalhou até a final, deixando para trás nomes como Jordy Smith, Filipe Toledo e Joel Parkinson. A decisão rolou num mar difícil – enorme, desorganizado e cheio de correnteza – e Jadson dispensou o jet e passou um bom tempo batalhando contra a arrebentação. Com seu faro de tubos aguçado, John John Florence conseguiu se conectar melhor com as ondas e achou uns canudos, levando o caneco. Jadson pode não ter se achado durante a última bateria, mas essa foi a primeira vez que chegou a uma final após sua vitória em Imbituba, em 2010.

Só a sintonia de John John com o mar para bater um Jadson inspirado em 2014.

[JL]